A evolução dos quadrinhos ao longo dos anos e os erros de algumas adaptações.


Atualmente, quando se fala em quadrinhos a primeira imagem que vem a cabeça é a de uma cena de luta ou algum filme relacionado ao gênero. Mas será que este era o motivo principal de algumas obras ?. Eu acredito que não.
    Assim como qualquer obra que dá sucesso, seja audiovisual ou apenas visual, é por que alguma coisa dentro dela chamou a atenção de quem leu. Com os quadrinhos não é diferente. Personagens estão a todo momento representando ideais, alguns são mais explícitos que os outros como o Capitão América que representa ao meu ver o sonho americano que vai além de governantes ou déspotas, que desejam tomar conta de situações que deviam ser do conhecimento de todos.
  O que me faz refletir atualmente é a forma de como o mercado mudou. Se antes o Superman lutava por um mundo melhor, hoje esse mundo, luta pra sobreviver ao Superman.


  Peço que se imaginem como pais. Num mundo tão difícil como o nosso, o que as crianças mais precisam na minha opinião é uma estrutura familiar que os preparem para o que pode vir a acontecer. Violência mesmo que implícita, gera violência. E eu quero perguntar a você, leitor : Você apresentaria seu filho as HQ's de hoje ?.
    Você se lembra de como os gibis eram escritos nas décadas de 50,60 ?.As histórias ajudavam a educar as crianças.Tramas científicas entretinham o publico em geral. O final, que tinha o herói apertando a mão do policial, socando o bandido e onomatopeias que são clássicas, fizeram a fama dos quadrinhos se estender ao longo dos anos.
  Sim a sociedade evoluiu, isso é inegável. Depois de acusações de psicólogos dizendo que certas histórias faziam alusões ao homossexualismo, as vendas caíram, heróis perderam visibilidade. Mas depois do Batman de Frank Miller, o rumo do mundo dos quadrinhos mudou pra sempre.


Junto a Watchmen e Piada Mortal, ambas do britânico Alan Moore, os leitores viram o que viria ser até hoje o rumo tomado pelos quadrinhos em geral. Histórias pesadas, sangrentas e que fugiam dos padrões antigos, fizeram as vendas subir e voltaram a agradar o publico.
  O grande problema é que apesar de serem obras primas, essas histórias saem um pouco do publico para o qual algumas histórias eram feitas. Se querem um exemplo atual que segue uma linha voltada ao publico infantil e que por sinal é muito bom, eu vou dar-lhes um. O universo cinematográfico da Marvel.


Afinal, qual de vocês marmanjos nunca sequer soltou um sorriso, daqueles que vão até a orelha, quando viu seus personagens favoritos no cinema ?. Sério, eu sou DCnauta assumido e quem me conhece sabe isso melhor do que ninguém. Mas o que a Marvel faz com os seus personagens no cinema é fodapracaralho espetacular.
   Sim, cinema é cinema e quadrinhos são quadrinhos. Mas isso meus amigos é muito inteligente da parte deles. O cinema está cheio de filmes com explosões, viagens no tempo e cenários pós apocalípticos. Se você sai da sua casa pra assistir uma adaptação de quadrinhos, você quer ver um filme de quadrinhos.
   A proposta da Warner é diferente e na minha opinião isso pode ser ótimo, por que nos dá uma diversidade na maior de gêneros e de opções. Mas eles esquecem de onde estão adaptando seus heróis e esse é o erro mais grotesco, já que é lá que eles começaram a fazer sucesso.
  O que eu quero dizer ao final disso tudo que você leu é que ao contrário de livros, onde o personagem adaptado não exige um nível de descrição muito avançado, os quadrinhos são obras que escracham a imagem dos personagens ao seu leitor. Errar na personalidade desses personagens é preguiça de fazer uma boa história que atraia os fãs, leitores e amantes do cinema.
 

Share this

Related Posts

Previous
Next Post »