As realidades e as possibilidades de "The Flash"


Desde o dia em que o episódio piloto das séries do Constantine e do Flash "vazaram", muito tem se falado de ambas. E como aqui eu só trato de coisas boas, vamos falar da série do velocista escarlate, o Flash. E antes de eu terminar esse parágrafo, quero dizer que se você fala coisas como "to mais rápido que o The Flash" é melhor parar por aqui. Brinks, pode continuar, mas fala direito. Beleza ?! Ok, vamos ao que realmente interessa. Não se preocupe, pois o texto não possui spoilers.
  Como eu disse no paragrafo anterior, o piloto da série vazou. Ninguém sabe como, mas vazou. É claro que alguns se arriscam a dizer que foi uma estratégia de marketing para digamos, ver a reação do publico. O fato é que o negócio fez sucesso e conquistou não só os fãs de quadrinhos, quanto o publico leigo que ta ali procurando diversão no sábado a noite. Isso é muito bom pro personagem, por que de certa forma ajuda o pessoal a querer conhecer mais sobre. E quem tende a ganhar com isso somos nós, já que com um publico maior, a DC/Warner vai dando mais liberdade aos criadores para que possamos cada vez mais ver ótimos personagens em cena, como está sendo em Arrow. Que na sua terceira temporada trás nada mais nada menos do que Ra's Al Ghul como vilão principal.


 Apesar do que a maioria acha, na minha opinião o Flash não segura uma trilogia. Não o Flash, mas os seus vilões em si. Eu tenho a impressão de que caso isso acontecesse, eles começariam usando a galeria de vilões clássica e depois utilizariam Grood. Por consequência, usariam o Professor Zoom. E é aí que mora o problema. Poucos conhecem e sabem realmente como usar a galeria contra o Flash. A maioria está ciente apenas do grau de problema que o Grood e o Eobard trazem. Com isso, uma franquia tão promissora se transformaria no que Thor é hoje. Filmes chatos e fracos.
  Com o formato das séries da CW, 23 episódios para cada temporada, fica mais fácil de desenvolver esses vilões. Aliás, o lance do acelerador de partículas foi bem pensado. Ao invés de fazer uma história de origem para cada vilão, eles podem usar a mesma pra todos. Como visto com o Mago do Tempo. Eu gostaria de fazer um adendo aqui pra falar dos efeitos especiais. Eles estão FODAS  muito maneiros, caras. Se liguem nessa ceninha aqui :

  
Destaque pro Barry usando a frase que ficou marcada com o Wally. Olha quem por acaso entrou no texto. Wally West, segundo Flash contemporâneo e o Flash favorito da maioria, afinal, ele foi o Flash por muito tempo e se você conheceu o personagem pelo desenho da Liga que passava no SBT, você também deve gostar muito dele. 
  Mas Leo, por que o Wally veio parar aqui, cara ? Estávamos falando do Barry, não é mesmo ?! Sim, nós estávamos e pra falar a verdade ainda estamos. Como todo mundo sabe, nos Novos 52, a DC resolveu mudar a etnia do personagem, vejam : 

Mas cara, cê ainda num disse o que isso tem a ver com a série, véi. É o seguinte minha gente, a Iris é negra na série. A família West é afro descendente. E a esta altura do campeonato, acho que você já sacou o que eu quero dizer né ?. Preparem-se para um Kid Flash negro, galera. Só pra deixar bem claro, eu não estou reclamando do personagem aparecer na série por ser negro. Só dizendo que se disserem que ele vai participar, não esperem um garoto ruivo. 
   No geral, a série aparenta ser a melhor adaptada de todas do UDC. Os atores são convincentes, os personagens escolhidos para participar idem. Quero lembra-los de que a Dra. Snow é a vilã nevasca nos quadrinhos, e o seu marido Ronnie Raymond que será interpretado por Robbie Amell será o Nuclear. Como o pessoal do Batmania Rio diz, se você ler quadrinhos é só somar 2+2. Depois da estreia do piloto, que acontece em Outubro eu voltarei com uma breve analise do que foi apresentado. Enquanto esse dia não chega fique com o novo trailer da série e seus poucos, mas importantes easter eggs :

   

Share this

Related Posts

Previous
Next Post »