Por que você deve ler Darth Vader


Não dá pra negar que entre os personagens mais populares da cultura pop em geral, o nome Darth Vader junto ao de Homem-Aranha e Batman é quase uma herança genética para as pessoas. Você pode não ser ligado nessas coisas, mas com certeza já nasceu falando "Eu sou o seu Pai" pro seu pai. Ainda mais se seu velho for nerd como nós.

Pois bem, é desse nome que parte esse texto. Aqui irei tentar convencer você, meu amigo desiludido, a ler uma das melhores HQ's publicadas pela Marvel que não carrega os Vingadores ou os X-Men. Ela carrega o nome de um dos maiores antagonistas de todos os tempos. Nosso querido Hay...Anak...Darth Vader.


A história do gibi se passa entre o final do primeiro filme (Episódio IV se preferir) e o magnifíco Episódio V. Com essa linha temporal estabelecida, o escritor trabalha como o personagem age quando descobre que o responsável pela destruição da Estrela da Morte era nada mais nada menos do que o filho de Anakin Skywalker que foi treinado (Mais ou menos isso) por Obi-Wan Kenobi, o Jedi amoroso responsável por cortar as pernas e o braço do escolhido com um movimento só.

E como se isso não bastasse, ainda temos a questão do Imperador. Como todos sabemos, apesar de toda a sua imponência, Vader ainda é o aprendiz de Darth Sidious. E por isso é julgado responsável pela vitória dos rebeldes ao destruir a base espacial. A partir daí, Vader é levado a realizar várias missões como forma de teste para recuperar a autoridade que tinha e o respeito de seus companheiros bélicos, já que as notícias que ele recebe do imperador sobre sua posição não são nada agradáveis. Encontrando assim, mais uma dificuldade para ir atrás do jovem Luke.

 Vader então conhece uma mercenária e arqueóloga de nome Aphra que o ajuda (Não totalmente por vontade própria) a conseguir dois dróids que vão o acompanhar e auxiliar nas missões. Basicamente, eles são versões assassinas de C3PO e R2-D2 chamados de Triple 0 e BT-1 respectivamente .

É necessário notar que a história em nenhum momento força demais a amizade. Assim como fizeram os produtores de Star Wars: Rebels em ter um cuidado com o estilo de luta do vilão, Kieron Gillen e Salvador Larroca fazem um homem de poucas palavras e de sentimentos conflitantes que não realiza movimentos acrobáticos como se fosse o Dick Grayson. Eu diria que temos mais daquele Darth Vader de O Retorno de Jedi do que o apresentado no antigo e esquecido game The Force Unleashed. Sério gente, os quadros pós revelação da identidade de Luke são incríveis. Você pode sentir o que o personagem passa e isso é total mérito do desenhista e do arte-finalista que parecem estar em perfeita simetria.

Darth Vader está sendo publicada pela Panini atualmente e não tem muito atraso em relação a versão americana, creio que uns 4 meses apenas. O que é bem pouco se compararmos com o material relacionado á Marvel e DC. Este que vos escreve leu até a edição de número 8 e já achou fantástica, e eu tenho certeza de que se você se apressar e ler tudo isso rápido, vai ficar ainda mais ansioso pra ver o que vem depois de O Despertar da Força.



  

Share this

Related Posts

Previous
Next Post »