O verdadeiro significado do DC Rebirth



É claro que você já deve ter ouvido falar nessa iniciativa que a DC trouxe pra alegrar o coração de muitos e deixar alguns poucos um pouco insatisfeitos. Nas últimas semanas ela tem sido bem comentada, mas por quê exatamente as pessoas gostaram tanto de um gibi que, com suas 80 páginas - o que pode ser considerado muito pro padrão americano - resolveu em um par de mágica os últimos 5 anos de problemas de relacionamento da DC com seus antigos leitores.

Quando os Novos 52 saíram nas bancas, muita gente torceu o nariz pro que a editora estava fazendo. Pra ser sincero até eu torci. Mas é inegável que saíram boas idéias de lá, principalmente relacionadas ao Batman - que depois do evento foi praticamente o foco da editora - e vamos combinar, Scott Snyder sabe a fórmula pra vender mensal. Todo mês Batman tava lá no meio como uma das 10 mais vendidas e olha que a DC ficar nesse top 10 uns tempos atrás era igual o Atlético-MG ganhar um bi campeonato. Tarefa difícil.

Mas o foco aqui não é falar de vendas e muito menos do Batman. Eu quero dizer que fazia muito tempo - sendo leitor de quadrinhos há pelo menos 14 anos - que um gibi da DC me arrancava um sorriso tão sincero e profundo por ler alguma coisa. E faz muito tempo mesmo. Lembro de ter me sentido assim só naquela fase Crise Infinita/52 semanas/Um anos depois, que na minha opinião é a verdadeira acensão de Geoff Johns como escritor e entendedor desses personagens.

Rebirth traz consigo a essência de todos esse anos da DC no mercado. O que seus personagens foram criados pra significar, o que significaram, significam e ainda vão significar durante muito tempo. Johns consegue colocar cada leitor em sua determinada época, faz nós nos sentirmos como se estivéssemos voltando a ler uma história da DC Comics depois de anos sem publicar nada. Confesso que o ápice do quadrinho na minha opinião é o momento em que Wally e Barry se reencontram. Entendam, novos leitores, aquilo não só é um encontro de gerações, mas como também é um encontro dos nomes responsáveis pela DC ter tantas histórias cativantes. Podemos citar Superman, Batman e Mulher-Maravilha, mas não existe nada sem o Flash. Sem os Flashes.


Tentar trazer o legado de volta não é uma forma de voltar atrás no reboot ou qualquer outra coisa, mas sim uma forma de lembrar os motivos do por que nós, fãs e leitores, amamos tanto esses personagens e o que eles trouxeram de importante para nossas vidas e pra vidas de outras pessoas. Lembrar que os ideais de verdade, justiça, esperança e otimismo são fundamentais para essas histórias é um movimento de clareza. Não é apenas mais um movimento apressado, ok, talvez tenha suas falhas, mas observem a essência. E se forem preocupados com estatísticas, o Arqueiro Verde voltar com cavanhaque vendeu 90 mil cópias em apenas uma semana.

Passamos muito tempo lendo histórias sombrias e arcos com mortes de personagens queridos, mas esquecemos que o ideal do iluminismo ainda é o prevalecente na DC. Eu costumava usar uma frase do filme Cavaleiro das Trevas : "A noite é mais escura pouco antes do amanhecer". Mas isso foi antes, por que meus amigos, ao que parece, já amanheceu.

Share this

Related Posts

Previous
Next Post »