Visão dos criadores ou voz dos fãs ?




Tudo bem, entendi, já fiz críticas e dei minha opinião. Mas sejamos sinceros, ainda tem coisa pra ser comentada. Talvez você já tenha visto esses tópicos em outro site, ou blog. Mas aí que tá, minha criança, nenhum deles era eu.
Sempre que procuro ver opiniões divergentes sobre alguma coisa, me preocupo em achar pelo menos embasamento. Por exemplo, respeito quem gostou de Esquadrão Suicida por determinado motivo ou atuação, mas se criticarem ou elogiarem alguma coisa que eu sei ser canônica, é motivo suficiente pra eu reclamar e chamar o companheiro de discussão carinhosamente de noob. É simples, olha só. Não se manda uma prova de cálculo pra um professor de português avaliar. A menos que mande-o avaliar a gramática das questões pra facilitar compreensão alheia.

Batman v Superman nunca foi um filme unilateral. Não se pode ter entendimento completo da obra se só se procura determinado aspecto que se encontra constantemente em outras películas. Outras franquias. Desde o início, fomos apresentados ao objetivo principal do Snyder em relação a esse universo e personagens integrantes. Não era só os introduzir abruptamente e com motivos específicos. Olha o Superman. Henry Cavill já tinha o peso do personagem, mais o que Christopher Reeves representava pra todo mundo. Massacraram o coitado antes mesmo de assistirem a porra do filme por que ele seguia determinado padrão.



Mas os mesmos que falaram mal dele, ou dessa versão do Superman, são os que, lá em 2006, disseram que o mundo tava cansado do Superman escoteiro. Caralho, seus potes de mijo, vocês têm o que na cabeça ?

Eu gosto muito de Superman O Retorno. Muito mesmo. Foi o primeiro filme de heróis que vi no cinema ainda moleque e me lembro da sensação de pensar que tudo aquilo era real, e da sensação de me apaixonar por produção de filmes quando uns meses depois vi os extras do DVD.

Mas as pessoas têm a sua versão do personagem. Uma versão sagrada. Um Superman sagrado que todos chamavam de personagem chato e não cativante. A versão que eles criaram e que na cabeça deles é imaculada. Mermão, se você tem sua visão do personagem, vai lá, faz curso de escritor, vira roteirista e vai trabalhar na DC. Aposto que com sua grande capacidade de criar boas histórias, tu não dura meio período lá.

Talvez seja mesmo um mal de geração. Achar que tudo deles pode ser melhor e se levar pela opinião dos outros. Olha, se você tem opinião própria, considere-se um vencedor. Metade das pessoas que você conhece não tem. E se temos os malditos formadores, também temos os propagadores de opinião. “Por que fulano de tal site disse que o filme é isso”. Caralho, se eu disser que bosta cheira chocolate esses imbecis acreditam. E não falo de crítica. Rotten Tomatoes ou qualquer coisa assim. Mas de gente que só consegue realmente agregar a um grupo e falar sobre determinado assunto se ver 6 vídeos de manos que nunca leram UM maldito gibi na vida antes de dizer se gosta ou não.

Entendam bem, não é problema tomar base em algum site. O problema é você dizer que gostou ou não de alguma coisa apenas por que um formador de opinião gordo e suado disse isso. Sem referências ao Davy Jones.
Não me entendam mal, não quero abrir espaço pra iniciar qualquer tipo de discussão fanboy aqui. Mas o fato das pessoas aceitarem mais os personagens da Marvel é por que eles não tem história. Essa é a primeira versão conhecida do Capitão América, Homem de Ferro e outros. Enquanto isso, ainda na Marvel, o Homem-Aranha sofre uma pressão desgraçada pra ter um filme que agrade a maioria das pessoas pelo simples fato de que esse personagem teve sua primeira versão concebida e muito bem recebida nos cinemas lá no começo da última década.

Se você leu quadrinhos, independente do quanto, tem um pouquinho de conhecimento e vontade. Foi atrás. Sabe do que gosta e tem uma visão do seu personagem favorito, faz todo sentido tu querer representação disso. Mas tem que entender que nós somos consumidores e não criadores. Infelizmente não temos como escrever as versões dos personagens que consideramos quase ou completamente ideais. Claro, uns entendem determinados personagens com uma precisão imprescindível, Batman e Lanterna Verde atualmente encontraram isso em James Tynion IV e Geoff Johns respectivamente.

Mas enquanto no cinema tentam construir esses mitos, aos poucos, temos que aceitar a visão dos criadores e entender que, apesar da demora, heróis e lendas não nascem dum dia pro outro.

Share this

Related Posts

Previous
Next Post »